Erros de cabeamento n.º 6 e n.º 7: Uso de um testador de cabo não compatível com EF e dois cabos | www.flukenetworks.com

Blog

Voltar para todos os blogs

Erros de cabeamento n.º 6 e n.º 7: Uso de um testador de cabo não compatível com EF e dois cabos

Mark Mullins

Enquanto as pessoas inteligentes que instalam, testam e certificam instalações de cabeamento de rede sabem a importância do cumprimento das normas, parâmetros de desempenho e garantir o suporte a aplicativos, até mesmo o melhor de nós pode cometer erros que afetam negativamente o resultado e a satisfação do cliente.

Vamos examinar as Bobagens números 6 e 7 que pessoas inteligentes fazem ao testar sistemas de cabeamento de rede — Uso de um testador não compatível com EF para testar fibra multimodo e escolha da referência em dois cabos para testes de perda óptica Nível 1.

Se estiver nas especificações

Aprovados em outubro de 2010 com a publicação da norma ANSI/TIA-526-14-B, Medições de perda de potência óptica de plantas instaladas com cabos de fibra multimodo, os testes de fluxo fechado (Encircled Flux, EF) atualmente são exigidos pela série de padrões ANSI/TIA-568. Portanto, se a sua especificação indicar ANSI/TIA-568-C.0, você deve usar emissões compatíveis com EF para testar fibra multimodo.

Se você acha que pode se apegar ao método antigo de uso de um mandril para estabilizar uma emissão, pense novamente. Décadas atrás, quando os orçamentos de perda eram relativamente elevados, a simples estabilidade por meio de um mandril era tudo de que se precisava para retirar os modos mais suscetíveis a perdas e garantir resultados precisos. Porém, esse não é mais o caso, devido aos orçamentos de perda mais apertados para Ethernet de alta velocidade de 10, 40 e 100 gigabits por fibra multimodo.

Configurador do kit do Versiv

Como você usará o Versiv?

Os testes de EF adotam um modelo mais restrito, que se adapta melhor às condições de emissões controladas rigidamente dos atuais transceptores de fibra óptica de alta velocidade. Isso reduz significativamente a incerteza da medição, o que pode poupá-lo de resultados superestimados e que seus clientes fiquem se perguntando por que suas aplicações não estão funcionando.

Portanto, se você estiver testando as fibras multimodo atuais, ter um testador compatível com EF, como o CertiFiber® Pro, é uma medida inteligente. Além disso, alguns fornecedores de cabo exigem atualmente testes de EF para oferecer garantia, enquanto outros fornecedores não oferecem suporte no local sem analisar primeiramente os resultados de compatibilidade com EF.

Mantenha tudo em um só

Embora um método de verificação de dois cabos durante os testes pareça fazer sentido, há um motivo pelo qual não é recomendável. Quando ambos os cabos são verificados, uma das conexões na extremidade é levada em consideração inadequadamente, produzindo resultados de perda excessivamente otimistas ou negativos.

Por outro lado, o método de verificação de um cabo, recomendado pelas normas TIA e IEC, avalia o estado das terminações do canal em relação ao conector multimodo de alta qualidade do jumper de referência do teste e inclui a perda das conexões em ambas as extremidades do canal.

Como a maioria da perda em um canal é causada por essas conexões, o método de verificação de um cabo proporciona maior precisão. Felizmente, uma perda negativa causada pela verificação de dois cabos resultará em uma advertência e uma FALHA no CertiFiber Pro. Além disso, muitos fornecedores de cabos rejeitarão os resultados obtidos pela verificação de dois cabos e isso poderia impedi-lo de adquirir uma garantia.


 
 
Powered By OneLink