Erros de cabeamento n.º 2 e n.º 3: Negligenciando os resultados e parâmetros de teste marginais | www.flukenetworks.com

Blog

Voltar para todos os blogs

Erros de cabeamento n.º 2 e n.º 3: Negligenciando os resultados e parâmetros de teste marginais

Mark Mullins

Enquanto as pessoas inteligentes que instalam, testam e certificam instalações de cabeamento de rede sabem a importância do cumprimento das normas, parâmetros de desempenho e garantir o suporte a aplicativos, até mesmo o melhor de nós pode cometer erros que afetam negativamente o resultado e a satisfação do cliente.

Vamos dar uma olhada nos erros bobos n.° 2 e n.° 3 que pessoas inteligentes fazem ao testar sistemas de cabeamento de rede — negligenciando um acordo sobre resultados marginais de teste diretamente, por escrito, e não especificar todos os parâmetros de teste.

Uma aprovação por pouco ainda é uma aprovação

Nos tempos da categoria 5, aprovações por pouco eram raramente vistas devido ao fato de que os componentes estavam bem à frente de seu tempo em termos de desempenho. Mas esses dias se foram há muito tempo. Os atuais componentes de categoria 6A especificam um nível muito mais elevado de desempenho que é mais difícil de atingir. Tudo, desde desempenho marginal dos próprios componentes até as práticas de instalação, e até mesmo a qualidade do equipamento de teste, pode ser suficiente para levar os resultados à aprovação por pouco que, nos equipamentos de teste compatíveis com os padrões de hoje, é indicado com um asterisco (*).

Apesar do asterisco ao lado do resultado do teste, as normas TIA e ISO/IEC determinam que uma aprovação por pouco ainda é considerada uma aprovação e, portanto, em conformidade. As normas especificamente determinam que um parâmetro deve ser marcado com um asterisco quando o resultado estiver mais perto do limite de teste que a precisão de medição publicada pelo fabricante do testador de campo. Isso indica claramente que a precisão do testador tem influência.

Selecionando um testador compatível com o setor, como o DSX 5000 CableAnalyzer™, que oferece precisão repetível e excepcional, você pode minimizar os resultados marginais de teste. E cuidado com qualquer testador que permite que você desabilite o asterisco e esconda resultados marginais. Isso faz com que o testador não esteja em conformidade, sem mencionar que isso pode colocar sua reputação e os negócios em risco. Também, certifique-se de manter seu testador em forma - tenha o firmware mais recente, repare seu testador conforme necessário e garanta que seus adaptadores de link permanente não estejam desgastados.

Apesar dos esforços, aprovações por pouco vão acontecer, especialmente se o link contiver um ponto de consolidação que adiciona outra conexão. Alguns clientes podem recusar a aceitar uma aprovação por pouco, querendo saber o que aconteceu com seu sistema de cabeamento supostamente "premium". Este é o momento em que você quer estar protegido. Lembre-se do que dizem as normas. A menos que tenha sido especificado e acordado por escrito, que aprovações por pouco não são aceitáveis, uma aprovação por pouco ainda é uma aprovação. Aceitar aprovações por pouco de resultados de teste diretamente é uma jogada inteligente.

Conheça seus parâmetros

Quando se trata de certificação de cobre, não foram só as margens que mudaram. Com a introdução da Categoria 6A e uma melhor compreensão dos aplicativos, transmissão de dados e o que afeta o desempenho, agora temos novos parâmetros especificados como base em testes de campo. Por exemplo, quando se trata de certificação de um sistema de cobre com Categoria 6A para operação 10GBASE-T, o teste de Alien Crosstalk é necessário.

Há também outros parâmetros mais recentes que, se não forem atendidos, podem causar problemas ao aplicativo.
Parâmetros de conversão de modo, como a Perda de conversão transversal (Transverse Conversion Loss, TCL) e de Perda de transferência de conversão transversão de mesmo nível (Equal Level Transverse Conversion Transfer Loss, ELTCTL) são usados para medir o sinal de modo comum dentro de um par, indicando equilíbrio adequado para ambientes ruidosos ou alta frequência. E agora temos desequilíbrio de resistência DC (discutido em nosso último blog), que pode distorcer os sinais Ethernet em uma conexão de PoE.

O que não queremos é o tempo e os custos envolvidos para voltar e refazer o teste para parâmetros que você não testou pela primeira vez. Certifique-se de que você sabe quais parâmetros são necessários e especifique-os antecipadamente, para que seus técnicos estejam preparados. E certifique-se de que seu testador tem a capacidade de teste para cada parâmetro especificado, especialmente os mais novos como TCL, ELTCTL e desequilíbrio de resistência DC - a propósito, todos eles podem ser testados com o DSX 5000 CableAnalyzer™.


 
 
Powered By OneLink